BRASIL PRA FRENTE

BRASIL PRA FRENTE!
O RIO DE JANEIRO DE PÉ PELO BRASIL!





















sexta-feira, 16 de maio de 2014

Filho do vice dos EUA leva diretoria na maior empresa de gás da Ucrânia

Filho do vice dos EUA leva diretoria na maior empresa de gás da Ucrânia
Se o vice Cheney podia empurrar a Halliburton no Iraque, por que o vice Biden não iria arranjar uma boquinha para o Júnior na Burisma Gas?
Em lance que faz lembrar os vínculos do
vice Cheney com a Halliburton na invasão do Iraque por seu petróleo, o filho do vice-presidente dos EUA Joe Biden, Hunter, acaba de ser “nomeado” para o conselho de diretores da maior produtora privada de gás da Ucrânia, a Burisma, que é de propriedade do barão-ladrão e “governador” Igor Kolomoisky. O vice de Obama aproveitou e emplacou no conselho da Burisma também seu consultor e sócio de Biden Jr, o financista Devon Archer, que comemorou: “é como a Exxon nos velhos tempos”.
Curiosamente, Biden, na viagem de 21-22 de abril que organizou a segunda investida da Junta de Kiev contra a população sublevada contra o fascismo e o FMI no leste e sul, havia aconselhado seus laranjas a “eliminarem a corrupção”. O vice de Obama deve considerar que fez muito por merecer o prêmio para Júnior.
Afinal, foi Biden que, em horas decisivas nos meses que antecederam o desfecho de fevereiro, ficou pressionando pelo telefone o presidente Yanukovich para não mandar as tropas desmontarem o arraial nazista da praça Maidan. E também foi ele que disse a Yanukovich, quando o golpe da CIA já estava vitorioso, que o presidente ucraniano estava “um dia e um dólar atrasado”. Pelo que se depreende, Junior vê diante de si muitos dias e muitos dólares.
Por sua vez, o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, considerou que não havia qualquer infração da ética na nomeação do filho de Binden por se tratar de “um cidadão privado”. Nem tão privado assim: ele é presidente do conselho consultivo do National Democratic Institute, o braço internacional do Partido Democrata, que serve de fachada para ações da CIA. Também é diretor do US Global Leadership Coalition, mafuá que congrega 400 empresários, ativistas de Ongs e experts em segurança nacional e política externa. Atuou também para o Boies, Schiller & Flexner, um dos principais escritórios de advocacia do país, com casos como “Bush vs Gore”.Também foi vice-presidente do MBNA Bank. Em suma, um rapaz prendado.
As duas principais áreas de prospecção da Burisma são as bacias do Dnieper-Donetsk e Azov-Kuban, no leste e sul conflagrados pelo putsch dos nazistas e neoliberais acionados pela CIA. No ano passado, a produção diária da Burisma chegou a 1,8 milhão de m3 de gás. Biden Junior prometeu contribuir com sua expertise em “transparência, governança corporativa e expansão internacional”.
Já no terreno, as notícias não eram exatamente as melhores para os putschistas e seus patronos. Segundo relatório do Banco Europeu para Reconstrução e Desenvolvimento (Berd), a economia da Ucrânia sofrerá contração de 7% este ano, e estagnará a 0% no ano seguinte. E o desmanche ditado pelo FMI mal começou.
A recém proclamada, por referendo, República Popular de Donetsk, deu 24 horas para a retirada das tropas e turbas enviadas por Kiev. Vídeo da LifeNews que mostrou helicóptero de combate com logotipo da ONU operando perto de Kramatorsk causou indignação e fez a organização pedir explicações. De acordo com a emissora de tevê, há pelo menos três helicópteros Mi-24 de combate e um Mi-8 de transporte nessa condição.
LEVANTE POPULAR
O levante popular contra a Junta de Kiev está fazendo os laranjas e nazistas baterem cabeça, o que é acirrado pela disputa feroz entre os oligarcas Piotr Poroshenko e Yulia Timoshenko na eleição-farsa de 25 de maio, em que cada um não abre mão de ser o entreguista-em-chefe a serviço dos EUA e da Otan.

Também conhecida como “Pinochet de saias” e “Demônio da Trança”, Timoshenko é a candidata dos dois principais fantoches na Junta de Kiev, o atual “presidente em exercício”, Turchynov, e o “primeiro-ministro” do “governo kamikaze”, o banqueiro “Yats”, segundo o tratamento íntimo de Victoria Nuland. “Haverá um terceiro turno revolucionário”, ela prometeu, ameaçando também derrubar Poroshenko se este, que está à frente nas pesquisas, vencer.
No dia 6, o partido do boxeador preferido de Frau Merkel, o Udar (Murro), propôs a substituição de Turchynov por Poroshenko, seu candidato a presidente, e também do ministro “interino” do Interior, Avakov, este pelo agente da CIA Nalivaic-henko, também do partido, diante do fracasso em esmagar o levante antifascista. Foi preciso a embaixada dos EUA intervir para acalmar os ânimos.


                                     ANTONIO PIMENTA
http://www.horadopovo.com.br/

Nenhum comentário: