BRASIL PRA FRENTE

BRASIL PRA FRENTE!
O RIO DE JANEIRO DE PÉ PELO BRASIL!





















quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Tarifa de celular no Brasil é a mais cara do mundo


De acordo com relatório divulgado pela União Internacional de Telecomunicações (UIT), a telefonia móvel no país é a mais cara do mundo, em termos absolutos. Os dados se referem aos preços praticados em 2012.
Um minuto de ligação entre celulares da mesma operadora custa US$ 0,71 (ou R$ 1,56). A taxa sobe para US$ 0,74 (R$ 1,63) em caso de chamadas entre operadoras diferentes e é o mesmo em ligações de telefone móvel para fixo.
Este custo é três vezes maior do que se paga pelo mesmo serviço em Portugal, por exemplo, de onde vem a empresa controladora de uma das operadoras brasileira. Na Espanha, sede da Telefônica – controladora da maior operadora no Brasil, a Vivo - um cidadão paga cinco vezes menos. Em Hong Kong, o minuto chega a ser 70 vezes mais barato do que aqui.
Não é só no preço do minuto de celular que o Brasil ocupa o topo do ranking. Os preços de envio de SMS, de US$ 0,23 (cerca de R$ 0,50) por cada mensagem, só não são maiores que os da Espanha e Turquia.
Com relação a porcentagem da renda que o brasileiro compromete com telefonia celular, o país fica em 112ª posição global, ou seja, entre os mais caros dos 161 analisados na pesquisa, diz a UIT. São 6,7% da renda, na média.
Os celulares, apesar do custo elevado, já ultrapassaram o número de brasileiros. Em média, existem 125 celulares por 100 brasileiros. A realidade que vemos é o consumidor que anda com dois ou três celulares, para driblar, com as promoções de cada operadora, o custo proibitivo da telefonia.
O serviço de telefonia foi privatizado em 1998, durante o governo FHC. Com a recente venda da Oi para os estrangeiros (ver matéria na página 8) a desnacionalização no setor é completa.

Com as altas tarifas e o péssimo serviço prestado - os mais reclamados do país - os lucros e as remessas para suas matrizes disparam. Somado a tudo isso, as teles privatizadas receberam benesses do governo através de isenção fiscal.

Nenhum comentário: