BRASIL PRA FRENTE

BRASIL PRA FRENTE!
O RIO DE JANEIRO DE PÉ PELO BRASIL!





















sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Dias que não podem repetir-se

Dias que no podem repetir-se
CLAUDIA FONSECA SOSA
Os efeitos da radiao nuclear se transmitiu de gerao em gerao; em muitos casos, causando malformaes genticas.
Os efeitos da radiao nuclear se
 transmitiu de gerao em gerao; em
muitos casos, causando malformaes
 genticas.

Um homem olha sua cidade destroada pelas bombas estadunidenses.
Um homem olha sua cidade destroada
 pelas bombas estadunidenses.
A tecnologia nuclear vai além da sabedoria humana... Gostaria de poder ver um mundo livre de armas nucleares enquanto esteja ainda vivo. Assim opina Sunao Tsuboi, um dos poucos sobreviventes do bombardeio atômico na cidade japonesa de Hiroshima, que em 6 de agosto de 1945 causou a morte de 140 mil pessoas.
Eram tempos da Segunda Guerra Mundial e o então presidente dos Estados Unidos, Harry Truman, tomou a deciso. Por favor, permanecem sentados. Tenho que anunciar-lhes algo. Acabamos de lanar uma bomba no Japo que mais potente que 200 mil toneladas de TNT. Foi um sucesso extraordinário, foram suas palavras perante a mídia norte-americana.

Mas o que para Washington foi um sucesso, para Tsuboi foi o pior dia da vida dele. Sentimento partilhado por cada um dos que sobreviveram catástrofe e que ainda clamam por um mundo livre de armas nucleares.

La rumo universidade quando estourou a bomba; ento houve um forte lampejo de luz e senti um calor intenso, comentou Tsuboi AFP. Além de graves queimaduras, este homem de 82 anos sofreu de câncer intestinal, que segundo especialistas pode estar vinculado radiação emanada após a explosão.
Histórias similares ocorreram em 9 de agosto de 1945 em Nagasaki, uma cidade portuária onde morreram mais de 70 mil inocentes após o estouro de outra bomba atômica estadunidense. Como se o massacre de Hiroshima no tivesse sido demais!

A decisão de Truman violou os tratados estipulados na Convenção da Haia, conveniados em 1899, 1907 e 1923, que proibia o bombardeio de cidades com civis ainda que tivesse objetivos militares incluídos em seu perpetro:
Os direitos dos contendentes para prejudicar o inimigo no podem ser ilimitados (Artigo 23o., lei de 1899).

Proibido o ataque ou bombardeio de cidades e aldeias indefensas (Artigo 25o., lei de 1899).

Proibido o bombardeio aéreo para aterrorizar população civil, assim como a destruiu de suas propriedades e a agressão aos no combatentes" (Artigo 22o., lei de 1923).

Durante muitos anos tentei ocultar que era uma vítima do ataque nuclear; suponho que tinha medo a ser repudiada. Nem sequer minha filha soube disso at que o aparecimento de um câncer e meus posteriores prolemas de sade fizeram impossível esconder a verdade por mais tempo, lembra Hiroko Hatakeyama, outra sobrevivente.

E acrescenta: O dia que caiu a bomba me encontrava no colégio de ensino primeiro Nagatsuka, numa zona relativamente pouco afetada. Nossa casa estava situada na autopista de sada da cidade e uma multidão tentava fugir pela estrada com o corpo abrasado, muitos deles completamente nus e sedentos. água, água, pediam....


Passaram 68 anos desde aqueles massacres e seus efeitos continuam latentes. Até quando a humanidade estar exposta aos caprichos de impróprios que s aspiram a dominar o mundo?

Nenhum comentário: