BRASIL PRA FRENTE

BRASIL PRA FRENTE!
O RIO DE JANEIRO DE PÉ PELO BRASIL!





















domingo, 22 de fevereiro de 2015

HSBC é denunciado por lavar dinheiro de cartéis de drogas



Novas informações sobre o escândalo do HSBC, que através de sua filial suíça orientou milhares de clientes pelo mundo a sonegar impostos e lavar dinheiro, alertam para o envolvimento do banco com cartéis de drogas, conforme documentos expostos por Hervé Falciani.
Há cerca de 3 anos o HSBC foi pego lavando US$ 881 milhões para um cartel de drogas, o que iniciou uma investigação arquivada após um acordo com a promotoria que permitiu ao banco escapar de todas as acusações criminais, pagando apenas multa simbólica. O esquema de lavagem de dinheiro incluía o cartel de Sinaloa, México, o primeiro a fazer "negócios" com o banco. O banco ajudou o cartel a comprar um avião para efetuar o tráfico. O Departamento de Justiça dos Estados Unidos, realizou uma investigação contra o banco, que resultou em 13 paginas de "informações criminais".
Já quando a lavagem do dinheiro das drogas não é feita pelos bancos, o tratamento é bem diferente nos EUA. Como no caso envolvendo o rabino do Brooklyn, Solomon Dwek, em 2009, preso com outros 4, por lavar dinheiro do narcotráfico, a partir da fachada de caridade religiosa. Outro caso foi o de Bridget Michelle sentenciada a cinco anos em 2013, no Mississippi, por lavar dinheiro sobre a fachada de uma transportadora.
Já Stephen Green, à frente do banco de 2006 a 2010, nunca foi acusado por envolvimento com o dinheiro das drogas. Pelo contrário, o banqueiro foi promovido a Ministro do Comercio Inglês no governo Cameron.
A lavagem de dinheiro do tráfico também era facilitada por contas do HSBC mantidas em Sinaloa, no México, durante o ano de 2007, pertencentes empresas de fachada nas Ilhas Cayman, paraíso fiscal ocupado pelos ingleses no Caribe.
Entre os clientes do banco relacionados nos documentos vazados estão diversos traficantes de armas e drogas, como era o caso de Mozes Victor Konig, e Kenneth Lee Akselrod, procurados pela Interpol.

Entre os clientes também constam ditadores como o falecido haitiano Baby Doc que vivia em luxo no meio da miséria e foi responsável pela carnificina para manter uma das mais sanguinolentas ditaduras das Américas.
http://www.horadopovo.com.br/

Nenhum comentário: