BRASIL PRA FRENTE

BRASIL PRA FRENTE!
O RIO DE JANEIRO DE PÉ PELO BRASIL!





















segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

A escolinha do professor Sérgio Moro


Por Fernando Brito, no blog Tijolaço:

É melhor rasgar logo a Lei Orgânica da Magistratura e a Constituição Federal.

Porque a partir do exemplo de Sérgio Moro, que elevou ao cubo o “animus escoiciandi” de Joaquim Barbosa, não existe mais.

O que está escrito no artigo 36 da lei, que ao Juiz é proibido ” manifestar, por qualquer meio de comunicação, opinião sobre processo pendente de julgamento, seu ou de outrem” não vale mais.

Ontem, no jornal popular das Organizações Globo, o Extra, o juiz Flávio Roberto de Souza, que preside o julgamento de Eike Batista, diz, nada mais nada menos que vai “esmiuçar a alma” do réu.

Isso mesmo, esmiuçar a alma, porque Sua Excelência assume o papel de Deus, porque não vai julgar penas fatos, mas a alma.

Apela até para a sua fé budista dizendo que, por isso, tem “muita facilidade de saber quando a pessoa está mentindo ou falando a verdade”.

– Vou esmiuçar a alma dele. Pedaço por pedaço.

Como é que é, Doutor?

Quer dizer que se o senhor for espírita, vai ouvir os espíritos?

Virou, perdoem a expressão, zona.

E não adianta tirarem, avisa ele, o processo de Eike de suas mãos depois deste show de “penetração de almas”.

O Dr. Flávio já avisa que, se tirarem este, tem outros contra ele sob sua autoridade…

- Ainda que o tribunal me tire desse processo, ele não me tira do caso.

E ainda debocha dizendo que, se isso acontecer, “eu falaria pra você a música daquela cantora: Tô nem aí… Tô nem aí para o que vão decidir”

Que beleza!

Eu não tenho a menor simpatia pelo Eike Batista e acho que ele deve ter ótimos advogados, que vão fazer picadinho deste juiz.

Mas é inacreditável o que está se passando em certos setores do Judiciário.

Ficou fácil arranjar um brilhareco na mídia com essas exibições ridículas.

Não acontece nada, mesmo, não é?

A escolinha do Professor Sérgio Moro “captou a vossa mensagem, querido Mestre”.

E o salário, óóóóóóóóóóó…

Nenhum comentário: