BRASIL PRA FRENTE

BRASIL PRA FRENTE!
O RIO DE JANEIRO DE PÉ PELO BRASIL!





















domingo, 14 de junho de 2015

Após julgamento-farsa EUA mantém preso político 43 anos em solitária


Juiz Brady determinou a soltura de Woodfox mas a promotoria de Luisiana recorreu prolongando a tortura do preso político que integrou o partido Panteras Negras que lutou pelos direitos civis nos EUA
O último dos 'Três de Angola', Albert Woodfox, de 68 anos, está atualmente no seu 43º ano na solitária. Recentemente o juiz da corte distrital da Luisiana, James Brady, ordenou sua libertação.
“O senhor Woodfox permaneceu em condições extraordinárias de confinamento por aproximadamente 40 anos, e ainda hoje não há condenação válida para mantê-lo na prisão, ainda mais em uma solitária,” disse o juiz.
O juiz Brady se utilizou de cinco motivos para justificar a soltura de Woodfox: falta de confiança de que o Estado providencie um julgamento justo, o tempo que Woodfox passou na solitária, a saúde fragilizada e a idade de Woodfox, dificuldades de providenciar em um terceiro julgamento uma defesa justa pela falta de testemunhas e “pelo fato de que o Sr. Woodfox já foi julgado duas vezes e seria julgado uma terceira vez por um crime que ocorreu mais de 40 anos atrás,” escreveu o juiz, ressaltando o método enrolatório utilizado pela promotoria do Estado de postergar a sua prisão.
Os 'Três de Angola' são três prisioneiros da 'Penitenciária Estadual da Luisiana', mais conhecida como Prisão de Angola, que foram acusados de matar o guarda Brent Miller em abril de 1972 durante uma rebelião. Eles eram Panteras Negras que de dentro da prisão lutaram por melhores condições na penitenciária.
São eles Robert King, que passou 29 anos sob confinamento na solitária até sua condenação ter sido anulada, foi o primeiro liberto, em 2001. Inicialmente King foi acusado de estar envolvido na morte do guarda, mas logo depois a acusação passou a ser pela morte de outro detento. Herman Wallace depois de 41 anos também aprisionado na solitária, foi liberto em 2013 e veio a falecer de câncer pouco depois no mesmo ano. Por último, Albert Woodfox, que está há 43 anos na solitária ainda aguardando por sua liberdade mesmo depois de ter sido julgado duas vezes, condenado, e logo depois ter as duas condenações anuladas.
Eles sempre se declararam inocentes e que foram mandados para a solitária em represália por suas posições políticas e associação com os Panteras Negras.
A procuradoria-geral da Luisiana está contra a libertação de Woodfox e já enviou uma apelação para a corte federal bloqueando temporariamente a ordem de liberação emitida pelo juiz Brady. O porta-voz da procuradoria, Aaron Sadler, disse que a procuradoria “fará de tudo para garantir que o assassino permaneça na prisão e que continue a pagar por suas ações”.
Teenie Rogers, a própria viúva do guarda Miller, aderiu ao movimento pela a libertação dos 'Três de Angola', declarando-os inocentes.”
O Relator Especial da ONU para 'Tortura e outros Tratamentos ou Punições Crueis, Desumanas e Degradantes', Juan Mendez, demonstrou sua desaprovação ao tratamento dado a Woodfox: “Não há dúvida que suas condições infligem nele o tipo de dor e sofrimento de natureza mental que está associada à tortura e eu acho que isso deveria parar”, declarou.
NELSON LOPES

Nenhum comentário: