BRASIL PRA FRENTE

BRASIL PRA FRENTE!
O RIO DE JANEIRO DE PÉ PELO BRASIL!





















quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Os BRICS vão abandonar o dólar como moeda internacional


Posted by  on 16/05/2013
Plano da Rússia para os países conhecidos como os BRICS, para desmantelar o sistema de comércio internacional com base no Dólar dos EUA.
O status do dólar dos EUA como moeda de reserva mundial dá os EUA uma série de vantagens em relação aos outros países. As mais importantes matérias-primas do mundo estão precificados e são negociadas (ainda) em dólares, mesmo que a maioria desses produtos não sejam produzidos nos EUA. O fato de que o sistema financeiro do mundo é baseado no dólar permite que a Reserva Federal_Fed norte americano exportar a sua inflação para outros países, enquanto o Governo Federal executa um enorme déficit com (absoluta) impunidade…
Tradução, edição e imagensThoth3126@protonmail.ch
Plano da Rússia para os países conhecidos como os BRICS, para desmantelar o sistema de comércio internacional com base no dólar dos EUA.
Por Valentin Mândrăşescu, Editor de Reality Check @ The Voice of Russia. 
… Até agora, apenas a China tem sido ativa em desafiar a supremacia do dólar. A internacionalização da sua moeda, o yuan é uma prioridade oficial dos líderes chineses. Contratos de swap (troca, câmbio) de moeda com os principais parceiros comerciais, como o Brasil, França, Austrália ainda são passos pequenos, mas importantes na estratégia chinesa. Alterar o sistema financeiro mundial não é uma tarefa fácil e, certamente, uma tarefa muito difícil para a China. 
Os países do grupo BRICS tem uma população total de 2.903.198.000 de habitantes, cerca de 40% da população global.
Agora, parece que Pequim encontrou um aliado no Kremlin. E parece haver um consenso entre os países integrantes do grupo conhecido como BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul): a urgente necessidade de desmontar o sistema do dólar como moeda internacional de negócios.
Uma semana antes da recente cúpula dos BRICS em Durban, dias 26 e 27 de Março de 2013 na África do Sul, a administração russa produziu silenciosamente um documento que descreve a estratégia da Rússia no contexto da cooperação dos países integrantes do BRICS. O documento faz uma leitura fascinante para qualquer um corajoso o suficiente para arar através do denso juridiquês russo. A estratégia foi concebida no “círculo íntimo” da equipe de Vladimir Putin, então é seguro assumir que ele representa a visão oficial sobre o futuro do BRICS.
Na Rússia, a política é bizantina, o fato de que o Kremlin decidiu não esconder o documento ou vaza-lo para uns poucos escolhidos jornalistas, mas sim publicá-lo completamente é um sinal muito forte, um sinal de raiva muito bem dirigida para os EUA. Um sinal de que os meios de comunicação ocidentais (absolutamente controlados pela elite no poder) preferiram ignorar.
impressão-dolares
Na seção de recitais do documento, os autores apontam que “não é um desejo comum dos parceiros do BRICS reformar a estrutura financeira e econômica mundial (que ainda dá suporte a existência do dólar) desatualizada e anacrônica que não leva em conta o peso econômico crescente dos mercados emergentes.” Além disso,  os estrategistas russos veem os BRICS como um instrumento para reformar a maneira como o mundo está sendo governado. Em seguida, o documento bate com o martelo a sua mensagem:
“A Rússia considera que, dada a suficiente vontade política dos dirigentes dos países do grupo dos  BRICS para promover a sua cooperação, essa aliança pode se tornar um dos elementos-chave de um novo sistema de governança global, principalmente nos domínios econômico e financeiro”.
Afastar da Nova Ordem Mundial-NWO! Os BRICS estão vindo com força para mudar o mundo.
O Dólar dos EUA é quase uma moeda fictícia que esta com os seus dias contados como moeda de reserva internacional.
Os objetivos são claros. Na seção intitulada “objetivos estratégicos”, o primeiro ponto na agenda dos BRICS é a reforma do sistema financeiro mundial, a fim de torná-lo “mais justo, mais estável e mais eficiente.” Nos próximos capítulos, nele está escrito claramente que esta “reforma” é realmente um desmantelamento do sistema com base no dólar.
É interessante notar que o lugar desta questão na lista de prioridades dos BRICS fala muito sobre a sua importância. A julgar pela ordem de prioridades, privar e/ou acabar com o status de moeda de reserva mundial do dólar é mais importante do que “prevenir violações de soberania” (aka “o problema da Síria”) ou “expandir a cooperação econômica”.
A linguagem utilizada neste documento indica que ele foi escrito ou fortemente influenciado por Sergei Glaziev, conselheiro econômico do presidente Putin, que é conhecido por planejar os aspectos econômicos da União da Eurásia entre a Rússia, Belarússia e o Cazaquistão. Glaziev acusou repetidamente o presidente do Fed dos EUA, Ben Bernanke de iniciar “uma guerra cambial” contra os mercados emergentes. 
Ele também acredita que a política de Bernanke acabará por levar a um confronto militar: “a lógica da conservação do atual sistema financeiro e político leva a uma nova escalada das tensões militares e políticas, incluindo o início de uma grande guerra” ( leia mais ).
Conforme o quadro a seguir, os países do grupo BRICS tem uma população total de 2.903.198.000 de habitantes, cerca de 40% da população global.
País Membro
Líder Político
PIB
(nominal·PPC)
$ milhões de USD
PIB per capita
(nominal·PPC)
$USD
IDH
População
em milhões
 BrasilDilma Rousseff
2.023.518
2.181.677
10.471
11.289
0,718
193.088
 RússiaVladimir Putin
1.476.912
2.218.764
10.521
15.807
0,755
141.927
 ÍndiaManmohan Singh
1.430.020
4.001.103
1.176
3.290
0,547
1.180.251
 ChinaXi Jinping
5.878.257
10.085.708
4.382
7.518
0,687
1.338.612
 África do SulJacob Zuma
354.414
524.341
7.101
10.505
0,619
49.320
Um capítulo inteiro do documento de estratégia é dedicado a instruções passo-a-passo sobre o desmantelamento do sistema financeiro global existente. A lista de medidas inclui: 
  • Reforma do sistema monetário mundial, a fim de criar uma representação, um sistema estável e previsível de moedas de reserva mundial;
  • Redução dos riscos de desestabilização das moedas e dos mercados de ações ligadas a grandes fluxos transfronteiriços de capitais (e a sua volatilidade);
  • Aumentar o uso de moedas nacionais no comércio entre os países do BRICS (excluir o uso do dólar);
  • Aumentar o nível de cooperação entre os países do BRICS, a fim de promover o seu interesse no domínio do comércio mundial;
  • Fortalecimento da Aliança cambial entre os BRICS;
  • Criação de agências de rating independentes.
manipulação-ocidente-nwo (2)
Desde a Reunião de Cúpula de Durban, pelo menos uma dessas medidas já foi implementada: a RT relatou que “a  agência de notação global China Dagong esta criando uma joint venture com a norte-americana Egan-Jones Ratings Co (EJR) e JSC RusRating da Rússia para desafiar as três principais agências de rating dos EUA. “Como os países do BRICS tentam conseguir o resto de seus objetivos declarados, ele continua a procurar que o atual sistema com base no dólar não sobreviva ao ataque conjunto das maiores economias emergentes, os países do grupo dos BRICS. 
Contribuição de Valentin Mândrăşescu, Editor de Reality Check @ The Voice of Russia. Ex comerciante de commodities, economista, jornalista. Estilo de vida nômade. Quando não está em Moscou, ele pode ser encontrado viajando por toda a Europa Oriental. Áreas de interesse: economia mundial, a política do Leste Europeu e a teoria da propaganda.
Permitida a reprodução desde que respeite a formatação original e mencione as fontes.
http://thoth3126.com.br/

Nenhum comentário: